terça-feira, 10 de julho de 2012

Sábado 14 Julho 18h PIANO e VIOLONCELO

Sonata para violoncelo e piano nº3 em lá maior, op.69, de L. van Beethoven
Sonata para violoncelo e piano em dó maior, op.119, de S. Prokofiev


Joana Correia Violoncelo
Iniciou os seus estudos musicais no Conservatório Regional de Ponta Delgada com a professora Teresa Carvalho. Concluiu o 5º grau com a professora Svitlana Chernous. Em 2006 foi admitida na ARTAVE na classe de violoncelo do professor Jaroslav  Mikus, participando nas diversas actividades promovidas pela escola. Terminou o Curso Instrumentista de Cordas em 2009. Trabalhou com os professores Anatoli Krastev, Ditta Rohmann, Endre Balog, Lauren Franklin, Márcio Carneiro, Paulo Gaio Lima e Xavier Gagnepain. Em música de câmara trabalhou com os professores Alexandra Mendes, António  Ferreira, Gregori Spektor, Irene Lima, Luís Machado, Nuno Inácio, Paulo Pacheco e Raquel Costa. Participou num Curso de Aperfeiçoamento de Música de Câmara de Guimarães com o maestro António Saiote. Participou na OJ.COM de 2006, nos 8º e 9º Estágios da Orquestra APROARTE, fez parte da orquestra Momentum Perpetuum e pertence à Orquestra Sinfónica da Escola Superior de Música de Lisboa. Trabalhou com os maestros Alberto Roque, António Melo, António Sérgio, Cesário Costa, Christopher Bochmann, Emílio de César, Ernest Shelle, Luís Machado, Martin Andre, Osvaldo Ferreira e Vasco Azevedo. Actualmente é finalista do Curso de Execução (violoncelo) na Escola Superior de Música de Lisboa na classe da professora Clélia Vital.
Helena Carichas Piano
Exerce funções de docente de piano na Academia de Amadores de Música desde 2009 É finalista da Licenciatura em Música na Escola Superior de Música de Lisboa,
na classe de Miguel Henriques. Em Música de Câmara recebeu orientação dos professores Irene Lima, Fernando Fontes, Nuno Inácio, Alexandra Mendes e Clélia Vital. É pianista da
Orquestra de Câmara Contemporânea e recentemente iniciou um Duo com a violoncelista Joana Correia. Apresentou-se em salas nacionais, como o Teatro Malaposta, o Club Setubalense, o Teatro São Luiz, o Museu da Música, a sala Tomás Borba da Academia de Amadores de Música (concerto integrado no ciclo “Musicália”, em celebração dos 70 anos do início da colaboração de Lopes-Graça com a  Academia) e no Teatro Municipal de Almada. Tem estreado peças de jovens compositores portugueses.
Iniciou os seus estudos com Savka Konjikusic no Conservatório de Música D. Dinis, com quem concluiu o 8º grau de piano. Frequentou como ouvinte e intérprete masterclasses com Galina Eguiazarova, Sequeira Costa, Michael Uhde e Olga Prats.


quinta-feira, 5 de julho de 2012

Domingo 8 Julho 18h


video
Armando Possante
Começou os seus estudos musicais no Instituto Gregoriano de Lisboa, tendo posteriormente estudado na Escola Superior de Música de Lisboa, onde concluiu o Bacharelato em Direcção Coral e as Licenciaturas em Canto Gregoriano, com a Professora Maria Helena Pires de Matos, e Canto, com o Professor Luís Madureira. Estudou Canto em Viena com a Professora Hilde Zadek e frequentou masterclasses de Canto com os professores Christianne Eda-Pierre, Christoph Prégardien, Siegfried Jerusalem e Jill Feldman. Frequentou cursos de Canto Gregoriano em Itália e Portugal com os professores Nino Albarosa, Johannes Göschl, Alberto Turco e Luigi Agustoni.
É actualmente professor no Instituto Gregoriano de Lisboa e na Escola Superior de Música de Lisboa. Orientou workshops de Canto e música coral em Portugal, Inglaterra e Canadá.
É director musical e solista do Grupo Vocal Olisipo e do Coro Gregoriano de Lisboa e foi cantor convidado do Nederlands Kamerkoor tendo-se apresentado em concertos em toda a Europa, Ásia, América e África e gravado mais de uma dezena de CDs de grande reconhecimento crítico. Conquistou com o Grupo Vocal Olisipo quatro primeiros prémios e vários prémios de interpretação em concursos internacionais na Bulgária, Finlândia e Itália.
Conquistou o 3º prémio no Concurso Vozes Ibéricas, o 3º prémio no Concurso Luisa Todi e o 1º prémio no Concurso de Interpretação do Estoril.
Apresentou-se como solista de oratória e recital nas principais obras do repertório de concerto e em ópera e nas óperas Così fan Tutte, L'Amore Industrioso, As Variedades de Proteu, Dido and Aeneas, The Fairy Queen, Venus and Adonis, La déscente d'Orphée aux Enfers, La Donna di Génio Volubile, La Dirindina, A Floresta, Corpo e Alma, Jeremias Fisher, O Sonho e L'Elisir d'Amore.

Laura Lopes
Laura Lopes nasceu em Lisboa em 1991. Começou a estudar cravo no Instituto Gregoriano de Lisboa, pertencendo aos coros do mesmo, sob a direcção de Armando Possante. Aos 15 anos de idade começou a ter aulas de canto com este mesmo professor, com quem se continua a aperfeiçoar. Frequenta o 2º ano da licenciatura em Música – curso de Direcção Coral/Formação Musical na Escola Superior de Música de Lisboa. Teve a oportunidade de se aperfeiçoar no campo da pedagogia musical ao abrigo do programa Erasmus no Instituto Kodály, em Kecskemét, Hungria no ano lectivo 2011/2012.
Como solista, interpretou o papel Mocho na ópera Pollicino, de Hans Werner Henze, com a direcção de João Paulo Santos. Foi ainda solista no Gloria de A. Vivaldi e na ópera O que diz sim de Kurt Weill. 
Participou em três edições do curso Vocalizze, com Cara Tasher e Stephen Coker, e em três edições das Jornadas Internacionais da Escola de Música da Sé de Évora, com Peter Phillips, Owen Rees, Armando Possante, Pedro Teixeira e Paulo Lourenço.
Membro do Coro Gulbenkian desde 2009, sob a direcção de Michel Corboz, Fernando Eldoro e Jorge Matta, teve também a oportunidade de trabalhar com maestros como Thomas Engelbrock, Christopher König, John Nelson, Bertrand de Billy, Joana Carneiro, entre outros.
Participou no Curso Internacional de Música Vocal na universidade de Aveiro com Isabel Alcobia em 2010, onde estreou como solista a obra ‘É um pouco sozinho’ de Nuno da Rocha.
No âmbito da música antiga, participou em masterclasses com Jill Feldman, em Arezzo, Haia e Tomar, e com Orlanda Velez Isidro em Évora. Participou como cravista em masterclasses com Miklós Spanyi e Rinaldo Alessandrini, tendo participado também em três competições de cravo, vencendo um 2º e dois 1ºs prémios.
Ilda Ortín
Iniciou os seus estudos musicais aos 5 anos de idade pelo Método Ward no Centro de Estudos Gregorianos de Lisboa. Nesta instituição, actual Instituto Gregoriano de Lisboa, completou o curso de Piano com Margarida Duarte de Almeida e José João Gomes dos Santos.
Concluiu o Curso Superior de Piano na Escola Superior de Música de Lisboa, tendo aí estudado com Tânia Achot, Olga Prats e Fernando Eldoro.
Frequentou cursos de aperfeiçoamento pianístico com Dmitri Bashkirov, Vitalij Margulis, Dmitri Paperno e Alain Jacquon. Em 1991 foi-lhe atribuido o prémio Campos Coelho na XIª edição do Concurso Internacional de Piano Vianna da Motta.
Em 1992 ingressou no College Conservatory of Music da Universidade de Cincinnati nos EUA, onde concluíu o Mestrado em Piano Performance e frequentou o Artist Diploma em Piano. Aqui trabalhou Piano com Eugene e Elizabeth Pridonoff e Música de Câmara com membros do LaSalle String Quartet e do Tokyo String Quartet.
Tem-se apresentado em concertos de música de câmara, com particular incidência no repertório para cordas e piano, a solo e com orquestra, participando também regularmente em recitais de canto e piano. É professora de Piano no Instituto Gregoriano de Lisboa.

Luiza da Gama Santos
Luiza da Gama Santos nasceu nas Caldas da Raínha onde iniciou, com seis anos de idade, os seus estudos com Adelaide Pereira, discípula de Vianna da Motta. Completou o Curso Superior de Piano do Conservatório de Lisboa na classe do Professor Campos Coelho.
Tem-se dedicado intensamente ao ensino, possuindo o Diploma de Educação e Didáctica Musical Método Edgar Willems. Exerceu funções docentes em Lisboa na Escola Beiral, na Academia de Amadores de Música e, mais recentemente, no Instituto Gregoriano de Lisboa, onde assumiu o cargo de vice-presidente do Conselho Executivo. Tem representado Portugal em congressos e estágios internacionais em França, Alemanha, Suíça e Itália. Integra, desde Julho de 1998, a Direcção da Association Internationale d’Éducation Musicale Willems, com sede em França. Fez parte da Direcção da Associação Portuguesa de Educação Musical. Formou com João Pinheiro a equipa responsável pelos “Momentos Musicais”, uma actividade do Acarte (Fundação Calouste Gulbenkian) destinada a crianças.Com Ignez Mazoni publicou o livro de canções inéditas “Cantigas para crianças” 


(Editora Portugalmundo). Colaborou com Ana Maria Ferrão e Paulo Ferreira Rodrigues no livro “Sementes de Música” (Fundação Gulbenkian, Editora Caminho). Sob a orientação de Helena de Sá e Costa, tem mantido a sua actividade de pianista. Frequentou classes de Música de Câmara com Tibor Varga. Tem-se aconselhado com Maria Christina Lino Pimentel, Nuno Vieira de Almeida, Jorge Moyano (Portugal), Désiré N’Kaoua e Dominique Merlet (França).
Actualmente colabora regularmente com o barítono Armando Possante, nomeadamente em recitais realizados na Antena 2, nos festivais da Póvoa do Varzim, Música no Verão (Esposende), Eborae Musica e ainda na “Semana Internacional do Piano de Óbidos”.

Manuel Brás da Costa
Graduado no Royal College of Music, Londres (1995-1998 ), participou nos concursos de canto Luísa Tody, Concurso Internacional de canto de Braila (Roménia ), Concurso Internacional de canto de Chimay (Bruxelas).
Foi laureado nos concursos Internacionais de canto Graziella Schiutti Prize, Early Music Competition, e obteve o 2º lugar no Keith Falkner Prize.
Manuel Brás da Costa apresenta-se como solista desde 1992, tendo efectuado uma série de concertos em Portugal, Inglaterra, Alemanha, França, Bélgica, África, India e Macau, sob direcção dos maestros Jorge Matta, João Paulo Santos, Leonardo de Barros, Cesario Costa, César Viana, Manuel Morais, João Paulo Janeiro; Ricardo Cangi, Kethil Haugsand, Paul Spicer, Ivan Moody, Joana Carneiro, Henrique Piloto, Nicholas Kok, Nickolay Lalov, etc; 
Participou em diversos festivais de música nacionais e internacionais. Ao longo da sua carreira desempenhou vários papéis em Óperas apresentadas na Culturgest, Teatro Nacional de S. Carlos, Britten Theatre (Londres), CCB, Teatro da Trindade, entre outros. 
Tem igualmente realizado concertos a solo e integrado em ensambles de câmara de variados compositores (Mozart, Carlos Seixas, Vivaldi, Pergolesi, Bach) de repertório religioso (oratórias, missas, Te deum, Paixões, Stabat Mater, Salve Regina).
Gravou discos de vilancicos e vilancetes de Escobar com o Escobar ensemble, Missa de Carlos Seixas com a Orquestra Barroca da Noruega, Canções medievais e renascentistas com o grupo Birundum, além de participações em gravações de música para orgão e canto acompanhado por João Vaz. No corrente ano vai ser lançado um disco de Cantigas de Amigo pelo grupo San Simon.
Além da sua actividade como cantor exerce actualmente a profissão de professor de Canto no Instituto Gregoriano de Lisboa, ACT (escola de actores) e no Conservatório de Música de Santarém.